Adoráveis links: decoração, presentes e natalices

Em 21.12.2016   Arquivado em Adoráveis links

Então é Natal!

rnajow

Prometo não continuar a letra da música pra ninguém ficar introspectivo durante essa leitura, mas hoje tem links de Natal pra gente comemorar essa época familiar, festiva e maravilinda!

natal-1

Se ainda não deu tempo de dar aquela enfeitada em casa antes de receber as visitas no próximo sábado, o blog Follow the colours (sempre ele <3) deu 5 ideias criativas e modernas para decorar a sua casa neste final de ano.

natal-2

Mas vale lembrar, Natal brasileiro acontece no verão! Em vez de neve, lareira, meias de lã e toda aquela pompa do hemisfério norte, a Jout Jout fez um DIY de Natal coerente pra te contar que símbolo ela acha que é a cara de uma decoração tupiniquim.

natal-3

Tag para os presentes de Natal: na onda dos embrulhos e enfeites artesanais, a Camila criou freebies lindos para baixar e deixar nossos presentes de Natal mais fofos.

natal-4

Ainda sobre freebies, A Lia Griffith disponibilizou modelos muito bonitos de embalagens para brigadeiros e outras lembrancinhas doces. O blog é em inglês, mas o arquivo é bem autoexplicativo, caso você não entenda o idioma. É só se registrar, baixar e imprimir.

Vida de freela: como encontrar trabalho na internet

Em 30.11.2016   Arquivado em Tecnologia, Vida de freela

como-encontrar-trabalho-internet

Já começo o post de hoje com uma boa notícia, já que o título contém spoiler: mesmo o networking permanecendo a melhor maneira de encontrar trabalho, é possível buscar oportunidades sem sair de casa!

Em áreas como Design, Programação, Tradução e Produção de Conteúdo, há várias maneiras de conseguir trabalhos como freelancer e ainda aumentar sua rede de contatos com pessoas que tenham afinidade criativa com o que você faz ou possam complementar seus serviços futuramente. Lindo, né?! E não é feitiçaria, é tecnologia!

Sites de Freelas

Em um cenário ideal, a gente já começa a vida de freela como uma boa carteira de clientes e têm trampo e dinheiro garantidos, mas quase sempre não é assim que funciona para quem está começando. Ainda bem que, seja pra quem é experiente ou pra quem ainda está embarcando na ideia, existem diversas plataformas online que conectam você e seu futuro cliente. Algumas delas são Escola Freelancer, 99freelas, 99designs, Meu Redator e Crowd. Mas tem outras tantas por aí!

Facebook

De certa forma, os grupos de Facebook tapam um pouquinho do vazio deixado pelas comunidades de Orkut. É possível ser parte de vários grupos diferentes conforme o assunto de seu interesse, e aqui falando de trabalho, há vários espaços que divulgam oportunidades para atuação in loco ou remota. Atualmente acompanho bastante o Digitais SC e o FREELA (Design, Moda, Publicidade e Cinema).

Outra opção bacana é curtir páginas de Facebook relacionadas a vida e divulgação de freelas, empreendedorismo e nova economia.

Lembrando aqui que você também pode prospectar seus clientes de forma ativa, divulgando seu produto ou serviço em grupos específicos. Mas aí vale o bom senso: sempre leia as regras gerais antes de publicar, e não seja o coleguinha spammer da turma.

Por fim, vale também usar seu perfil ou uma página profissional para divulgação do seu trabalho. Se cabe compartilhar uns memes, por que não aproveitar o feed para fazer aquele auto-jabá, não é mesmo?!

LinkedIn

A pastinha de currículos já não circula mais as ruas centrais da sua cidade, mas nem por isso você deixou se precisar se apresentar profissionalmente!

O LinkedIn é uma ferramenta incrível para se conectar a pessoas, empresas, projetos, pesquisar conteúdos específicos e, veja só, descolar clientes novos. Isso depende, claro, de como você dispõe as informações em seu perfil, então já sabe: dados para contato atualizados, experiências listadas de forma verídica e sucinta, menção de cursos relevantes e todas aquelas outras dicas que a gente já tem que saber quando desenvolve o primeiro currículo.

Aplicativos

Já tem site, rede social… Tem como ficar ainda melhor?  Tem sim: habemus aplicativos!

O Prolancer é um bom exemplo de app voltado para oportunidades de freelas. Ele é quase um Tinder, só que profissional. O objetivo é fazer o “match” entre suas habilidades e as demandas de trabalho disponíveis, e para isso a plataforma cruza as preferências do candidato e com as vagas por meio do seu algoritmo.

Outro que promete facilitar a nossa vida é o app JobMe, por enquanto disponível apenas para Android e ainda em fase de testes. Desenvolvido pela empreendedora Fabi Farias e sua equipe, ele promete unir referências do LinkedIn, Catho, Trampos e grupos de Facebook em uma forma moderna e simples de buscar vagas.

Esses são os aplicativos dos quais tenho conhecimento. Confesso que não tive a experiência te utilizá-los ainda para dar um parecer, mas se você já conhece esses ou outros apps legais para compartilhar, deixe nos comentários!


O que se pode concluir com essas ferramentas é que os recursos estão aí, e o empreendedorismo ganha cada vez mais espaço para que novas soluções como essas apareçam a cada dia para que possamos nos conectar profissionalmente de maneira remota.

Seja você a pessoa em busca de jobs, ou mesmo o desenvolvedor de uma nova plataforma de vagas profissionais, todas as boas ideias são bem-vindas e nós somos movidos por elas!

Adoráveis links: contratos e outras bacanices para freelas

Em 04.11.2016   Arquivado em Adoráveis links, Vida de freela

anunciofacebooklinks

Conforme prometido, o mês de novembro está cheio de informações bacanas aqui no blog para quem trabalha como freela ou pretende começar o próprio negócio em breve, afinal, faltam poucas semanas para 2017 e nada melhor que o final do ano para pesquisar e refletir sobre como você quer trabalhar ano que vem. Já parou pra pensar nisso?

O Cubo F3 é uma agência freelancer aqui de Blumenau que tive o prazer de conhecer em um workshop facilitado pelos profissionais envolvidos, e tem uma proposta muito bacana de conectar pessoas das áreas criativas, promover jobs, informar e claro, trocar experiências sobre esse modelo de trabalho relativamente novo. Em um post do blog da Cubo, encontrei 5 Estratégias de Inteligência Emocional para lidar com as adversidades da profissão.

A Aninha do blog Madly Luv é designer e sabe que freela não é bagunça. Ela escreveu sobre a importância do Contrato de Prestação de Serviços e sugeriu vários modelos e links úteis, especialmente para quem trabalha na área de Design Gráfico. Esse assunto é motivo de preguiça/apreensão de quem está começando, mas faz toda a diferença para o registro de direitos e deveres do contratado e do cliente.

TED-do-amor: fã que sou, não posso deixar de compartilhar esses 8 TED Talks para insirar e motivar empreendedores. Tem lições de vida, inspiração, histórias que se parecem com a sua e uns talks bem sincerões sobre sucesso e fracasso, com destaque para a maravilhosa Elizabeth, autora do livro “Comer, rezar e amar”.

E o seu currículo, como vai? Não é porque você não vai fuçar os classificados de vagas, que precisa descuidar do marketing pessoal. Pelo contrário, essa é a hora de mostrar o seu potencial ao mundo! A Ana Paula do Plano Feminino contou por que a gente não precisa usar o LinkedIn só para  procurar emprego, e deu sugestões para utilizar essa ferramenta a nosso favor.

Pra finalizar, um link que encontrei ano passado e ainda não saiu dos meus favoritos: o Lucas do Design Culture reuniu ferramentas e sites que ajudarão a inspirar e organizar seu ano. Tem sites para buscar referências, bancos de imagens gratuitos ou com preços amigos, gerenciadores de tarefas, apps e muito mais!

Tem um link bacanudo para compartilhar também? A palavra é sua, deixe nos comentários!

Vida de freela: guia completo sobre MEI

Em 01.11.2016   Arquivado em Vida de freela

anunciofacebookmei

Começar um negócio próprio ou passar a trabalhar como freela para ganhar uma renda extra são decisões que geram frutos positivos, mas também responsabilidades.

Quando decidi encerrar minha experiência na agência e passar a conquistar meus próprios clientes, uma das minhas prioridades iniciais foi pesquisar sobre como formalizar o meu trabalho, com o intuito de ter contratos de prestação de serviços bem estruturados, oferecer aos clientes a emissão de nota fiscal, poder comprar de fornecedores como pessoa jurídica, entre outros benefícios. Foi então que procurei o SEBRAE da minha cidade para saber mais sobre o registro como MEI – microempreededor individual, e finalmente me formalizei.

Como muitos amigos estão no mesmo barco e têm algumas dúvidas sobre esse modelo de negócio, listei todas as informações que recebi neste “Guia do MEI”. Espero que gostem!

Antes de mais nada… o que é MEI?

A Lei nº 128 de 2008 corresponde a legislação do MEI – microempreededor individual, que oferece a legalização como empresa às pessoas que trabalham por conta própria e na informalidade. Com isso, milhões de trabalhadores passam a ter auxílio, proteção e benefícios da Previdência Social.

O que é preciso para começar?

Procurar o SEBRAE mais próximo, acessar o site ou ligar para 0800 570 0800 para receber orientações sobre a gestão do seu negócio. Esse não precisa ser necessariamente o primeiro passo, mas acho a dica muito válida.

  • Ter mais de 18 anos;
  • Desenvolver alguma atividade que se encaixe nos requisitos para ser MEI (Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008). Para consultar as funções permitidas, acesse o Portal do Empreendedor, fale gratuitamente com o SEBRAE ou procure a Praça do Empreendedor, caso exista em seu município;
  • Ter um faturamento bruto anual de até R$ 60.000 (se ficar ryco e ultrapassar essa faixa, você precisará migrar para outra classificação);
  • Não ser sócio ou titular de outra empresa;
  • Não ter mais de um funcionário nem possuir filial;
  • Ser brasileiro ou ter visto permanente.

Importante: quem está recebendo seguro-desemprego ou outro benefício da Previdência Social, poderá perdê-lo ao se formalizar.

Quais as vantagens de ser MEI?

  • Abertura rápida e gratuita. Em Blumenau, você procura a Praça do Cidadão com seus documentos pessoais e comprovante de residência e já sai de lá com seu negócio formalizado;
  • Posse de CNPJ;
  • Emissão de nota fiscal sem custos extras (eu uso o Nota Blu para isso);
  • Possibilidade de participar de licitações e vendas para órgãos públicos;
  • Possibilidade de abertura de conta jurídica, com condições especiais para empréstimos e outros serviços;
  • Dispensa da necessidade de ter um contador, a menos que precise contratar alguém;
  • Sem obrigatoriedade de emissão de nota fiscal para pessoas físicas;
  • Sem necessidade de declarar imposto de renda (falo mais sobre isso abaixo);
  • Isenção de impostos federais;
  • Pagamento simbólico de ICMS e ISS;
  • Pagamento de imposto único, com baixo custo e valor fixo;
  • Cobertura previdenciária (auxílio-maternidade, aposentadoria e vários outros benefícios);
  • Cursos e consultoria gratuita do SEBRAE;
  • Mais aceitação na hora de prospectar clientes (não passei por isso, mas muitas pessoas que se formalizaram como MEI me relataram que sentiram a diferença ao transmitir credibilidade).

Bônus: acesso ao Qipu, um aplicativo muito legal sobre o qual já comentei aqui, que me ajuda super a organizar as receitas, lembrar de pagar o DAS, preparar a declaração anual e consultar os benefícios da Previdência.

Quais as responsabilidades do MEI?

  • Efetuar a contribuição mensal (DAS) até o dia 20 de cada mês;
  • Fazer a declaração anual simplificada (DANS-SIMEI) do faturamento bruto do ano anterior, seguindo o prazo estabelecido pela Receita Federal – o que de certa forma “substitui” a declaração de IR;
  • Emitir nota fiscal ao vender produtos ou serviços para outras empresas, bem como como exigir e guardar notas fiscais ao realizar compras;
  • Registrar formalmente o empregado e pagar os encargos (caso haja interesse em ter esse colaborador). Nesse caso, recomenda-se a contratação do profissional contábil para assistência.

Quanto custa ser MEI?

  • O valor do DAS correspondente a sua atividade, que inclui 5% de um salário mínimo para INSS, R$ 5,00 para imposto municipal caso você trabalhe com serviços, e R$ 1,00 para ICMS caso sua atividade seja de comércio ou indústria. O valor aplicável para o meu caso é de R$ 49,00 por mês;
  • Pagamento anual de Alvará – consulte seu município, pois em Blumenau recebi isenção.

A inscrição do MEI pode ser realizada gratuitamente no Portal do Empreendedor. Aqui em Blumenau, procurei a Praça do Empreendedor, que fica no Shopping Park Europeu, participei da Capacitação MEI Na Prática, ministrada por uma consultora do SEBRAE nas dependências do shopping, e saí de lá na mesma tarde com CNPJ, alvará e certificação. E sem mexer na carteira, o que tem Selo Julius Rock de aprovação, não é mesmo?!

gif_julius2

Estou convencido, mas não me sinto preparado. E agora?

Meu conselho é: busque as informações que precisa e se jogue! Mesmo que de forma simples, faça um planejamento sobre o mercado, clientes, fornecedores, concorrentes, preços e investimentos necessários, para começar um negócio que realmente seja viável, e o mais importante: esteja conectado com seus objetivos e te deixe feliz.

Lembre-se que os pontos de atendimento SEBRAE estão disponíveis de forma gratuita para ajudar a planejar e saber como administrar o seu negócio, e você também pode contar com outros microempreendedores do mesmo barco para compartilhar receios e experiências.

Ainda tem dúvidas? Quer trocar uma ideia comigo? Deixe seu comentário ou me procure nas redes sociais! Será um prazer te ajudar a saber mais sobre esse modelo de trabalho cada vez mais procurado e quem sabe contribuir para suas decisões.

[Imagem: Pexels]

TAG: uma lista sobre o tempo

Em 18.10.2016   Arquivado em TAG

tagtempo

Faz tempo que o blog Dona Onça ganhou um espaço na minha pastinha de favoritos com essa tag nostálgica, mas ainda não a tinha respondido. Hoje decidi ter esse momento remember e compartilhar por aqui, afinal, recordar é viver! :D

10 anos atrás

  • Dei o meu primeiro beijo
  • Adorava brincos grandes de penas
  • Estava na oitava série do ensino fundamental
  • Ainda não havia pego recuperação

5 anos atrás

  • Não estava certa sobre minha escolha de graduação
  • Trabalhava em uma escola de cursos profissionalizantes
  • Tinha pouca experiência no volante
  • Criei uma conta no Facebook

2 anos atrás

  • Meu segundo sobrinho nasceu <3
  • Me formei
  • Comecei a enxergar a possibilidade real de empreender
  • Passei as férias de final de ano fazendo um tur pelas praias da região

1 ano atrás

  • Andei de avião pela primeira vez
  • Conheci Rio de Janeiro e Gramado
  • Conheci a Amira e fui host pela primeira vez
  • Tomei a importante decisão de engatinhar com o meu próprio negócio

Esse ano, até hoje

  • Conheci São Paulo, Brasília, Porto Alegre e algumas praias do nordeste brasileiro
  • Conheci a Paulina e fui host pela segunda vez
  • Montei meu próprio negócio e me formalizei como MEI
  • Me tornei membro da AIESEC

Ontem

  • Furei o planejamento de ir para a academia de manhã
  • Voltei a organizar minhas tarefas com a agenda física
  • Trabalhei durante o dia todo
  • Curti a combinação barulho de chuva + sopa da mãe

Hoje

  • Acordei cedo e fui para a academia
  • Consegui realizar todas as tarefas planejadas
  • Vim aqui tirar os paranhos do blog depois de um tempo ausente
  • Descobri que a Gretchen fez um canal no Youtube. “Postagens mil!”

Neste fim de semana

  • Pretendo consumir o fondue que ganhei de presente (espero comer antes, se possível rs)
  • O despertador ficará desligado \o/
  • Vou para o último sábado de Oktoberfest
  • A mantinha me aguarda

Aprendi com o tempo

  • A botar o medo debaixo do braço e seguir meu coração
  • A valorizar mais as pessoas e respeitar a forma como pensam
  • Que inteligência emocional é importante para ter qualidade de vida
  • Que não preciso ter o controle de tudo

That’s all, folks!

folks

E é assim que retorno a esse espaço, de maneira nostálgica e leve, mas garantindo que muitos conteúdos legais pintarão por aqui, principalmente relacionados a vida de freela. Então fique de olho!

 

Saúde: 10 conselhos fáceis de seguir e sem clichê

Em 23.09.2016   Arquivado em Comportamento

conselhossaude

Leio muito sobre dicas de saúde, alimentação, culinária e atividades físicas, e apesar de muitas lorotas, percebo que existem informações úteis, aplicáveis e mais simples do que muita gente imagina!

Sem extremismos, nem grandes mudanças na rotina, é possível mudar alguns hábitos e sentir os efeitos sobre o bem-estar e qualidade de vida. Pra isso, a gente não precisa se transformar em musos fitness, é só seguir algumas recomendações como estas:

  1. Coma mais devagar: não precisa contar as mastigadas não. É só largar o celular, desapegar do relógio e comer sem pressa, saboreando a refeição. Assim, segundo a maravilhosa Sophie Deram, seu corpo responderá quando estiver saciado e você evitará excessos ou mesmo a falta de saciedade.
  2. Mão na massa: e pode ser macarrão, inclusive! Segundo a OMS, as refeições feitas na nossa cozinha, com alimentos orgânicos ou pouco processados, são as mais saudáveis.
    giphy-1
  3. Não conte calorias: uma lata de refrigerante pode ser menos calórica do que um suco natural, dependendo da fruta. A questão aqui não é que a quantidade de kcal não representa de forma alguma a qualidade do alimento, percebe?
  4. Largue a balança: é serio. Os números da balança não especificam sua composição corporal nem definem o quanto você tem saúde. Pese-se quando necessário, mas não precisa subir na bendita toooda semana.
    giphy-2
  5. Receba massagem regularmente: fácil essa, hein?! A massagem melhora a circulação sanguínea, relaxa os músculos e ajuda a descansar a mente também.
  6. Durma mais: outro conselho bem fácil, e as pessoas insistem em procrastinar em vez de pegar no sono. Que tal deixar o celular longe do travesseiro e apreciar mais essa maravilha que é dormir?
    giphy-3
  7. Saia do piloto automático: pratique a atenção todos os dias. Observe o que está comendo, estacione pensando na melhor manobra para o carro encaixar na vaga, escove os dentes analisando o que precisa ficar limpo. Parece óbvio, mas a gente faz muitas dessas tarefas pensando na morte da bezerra.
  8. Pare de se cobrar demais: aprender com os erros ok, mas gastar tempo com arrependimentos e lamentações, além de ser um desperdício de energia, pode levar a problemas sérios de saúde.
    giphy-4
  9. Se mexa! Não adianta reclamar que a academia está cara enquanto está sentado no sofá. Mude para o canal de música e dance, dê uma caminhada, tire os paranhos da bike, levante esse popô daí!
  10. Vá ao banheiro. Segurar os números todos que a gente tem que fazer lá é algo muito prejudicial para o corpo. Não é um conselho agradável de ler e nem a propaganda da Activia consegue deixar esse papo natural, mas parar de procrastinar essa horinha preciosa melhora o funcionamento do organismo, diminui o inchaço e dá até um viço na pele.
    giphy-5

Vamos combinar: são dias bem úteis que não envolvem palavrinhas da moda como detox, aeróbico em jejum ou qualquer outro assunto sobre o qual eu não poderia opinar por não ser da área da saúde. Aliás, se puder finalizar o post de hoje com o 11º conselho, minha escolha é: se também gosta de pesquisar sobre saúde, eleja boas referências. ;)

Movida por aí: Alagoas e Pernambuco

Em 09.09.2016   Arquivado em Movida por aí

alagoasepernambuco

Em março deste ano eu e o Rafa tiramos miniférias para visitar o nordeste brasileiro e aproveitar alguns dias de praia, já que final do ano não passamos um tempo no litoral, como de costume.

Assim que voltamos, comecei de verdade na correria da vida de freela e perdi o timing para compartilhar aqui no blog sobre a nossa viagem. Mas cá estou, antes tarde do que mais tarde, para mostrar alguns lugares que adoramos conhecer.

Saímos de Curitiba beeem cedo no dia 22 de março com destino a Maceió (quem compra passagens em promoção vai entender o horário). Logo que chegamos à cidade, fizemos a nossa tradicional caminhada para reconhecimento de território. Conhecemos a orla, que fica há poucos metros de onde estávamos hospedados – obrigada, Cilene e Rodrigo!, e nossa primeira impressão foi ótima.

Praia do Gunga

gunga1

Bem perto da cidade de Maceió, essa foi a primeira praia que visitamos. Foram cerca de 30km de carro até chegar ao local, uma paisagem com a maior quantidade de coqueiros que já vi na vida. O dia estava nublado e, mesmo assim, o mar alagoano já nos mostrou sua cor surpreendente. Outra novidade foi a parede de corais que “cerca” a Praia do Gunga, algo que não costuma fazer parte da paisagem do litoral catarinense.

Encerramos o primeiro dia de passeio com um programa clássico de turista em Maceió: jantar no Bodega do Sertão.

Praia Mirante da Sereia

sereia1

Seguimos nosso roteiro de viagem com destino a Maragogi. Ao parar em um posto para abastecer o carro e o pânceps com um café da manhã gostoso, resolvi atravessar a rua para olhar a paisagem de um mirante, e fiquei hipnotizada pela beleza. A manhã ensolarada deixou o mar ainda mais incrível, e lá entre as ondas, tinha uma estátua de sereia sobre os corais que chamou minha atenção.

sereia2

O Foursquare me informou que estava no Mirante da Sereia e mostrou algumas avaliações reclamando da falta da estrutura, mas particularmente, prefiro praias bem cuidadas e um pouco desertas, àquela muvuca de areias tomadas por mesas de restaurantes e vendedores circulando o tempo todo.

Maragogi

maragogi0

Certamente, um dos pontos altos da nossa viagem foi chegar a esse lugar tão mágico. Maré baixa, faixa de areia enorme, águas muito claras e sem ondas nos esperavam para o passeio de barco até os galés de Maragogi.

Lá, além de observar peixes bem de pertinho e recifes de corais com ajuda do snorkel, tive uma das experiências mais diferentes da minha vida: mergulho! A superação pessoal ao topar o scuba diving foi tão grande que tem até um post especial sobre esse momento aqui.

maragogi2

O passeio durou somente uma manhã, mas adoramos passar o dia todo na cidade. Depois de aproveitar a praia durante a tarde, caminhamos pela calçada pertinho da orla e finalmente provamos a tapioca nordestina. Uma delícia!

maragogi1

Ficamos na pousada Kaimoana, que era a mais em conta na época em que pesquisamos, e valeu a pena. Quarto amplo com varanda de frente para o mar e café da manhã já com os pés na areia.

Porto de Galinhas

porto1

Passamos a noite em Maragogi, e no dia seguinte, depois de um café reforçado, seguimos nossa viagem de carro em direção a Pernambuco, com destino a Porto de Galinhas. Assim como a praia anterior, esta também fez parte do ponto alto da nossa viagem, já que o mar pernambucano é igualmente maravilhoso.

Porto de Galinhas tem corais que conseguimos acessar nadando ou mesmo de pé nos períodos de maré baixa. Lá foi o lugar onde mais vimos espécies diferentes de animais marinhos, mesmo com a experiência do scuba diving no dia anterior.

Nosso roteiro inicialmente destinava só um dia para conhecer a cidade, mas gostamos tanto de lá que resolvemos passar todo o final de semana. Mesmo à noite, Porto de Galinhas tem seus encantos. O centrinho da cidade é super charmoso, com apresentações de danças, lojinhas com artesanato e várias opções de barzinhos e restaurantes.

Único ponto negativo (além do joelho envenenado, rs): lembra o que comentei sobre a praia Mirante da Sereia? Porto de Galinhas é o oposto: tem estacionamento, chuveiros, e restaurantes que infelizmente ocupam toda a extensão de areia. Apesar de uma boa estrutura, achei muvucado demais.

porto2

A visita à cidade terminou quando eu acidentalmente bati com o joelho na parede de corais no fim da tarde de domingo e tive que ir para a emergência e levar uma Senhora Injeção para conter a ação das toxinas. Mas exceto pelo pão francês no meio da perna esquerda, deu tudo certo, o atendimento foi rápido bom e esse episódio só deixa a história da viagem mais engraçada.

São Miguel dos Milagres

miguel1

A situação é a seguinte: duas pessoas cansadas viajando por uma rodovia pouco iluminada, deserta e uma delas com o joelho machucado. Foi assim que recomeçou nossa road trip, agora com destino a São Miguel.

Por ser noite e termos brincado com peixinhos o dia todo, a distância de mais de 100km entre Porto de Galinhas e São Miguel dos Milagres, que já é grande, se multiplicou. Quando achamos que já estávamos chegando, encontramos uma cidadezinha que estava em festa, e paramos para um respiro (e um rango). Não era nosso destino, mas felizmente, dali em diante foram só mais alguns minutos de carro até a pousada.

No dia seguinte, finalmente conhecemos o Milagre de São Miguel: uma praia deserta, com águas claríssimas e muitos corais. Ao contrário dos lugares que visitamos anteriormente, a areia tinha uma textura leve de lodo, o que não nos permitiu ver tantos peixinhos. Ainda assim, conseguimos andar sobre corais e apreciar a vista incrível do lugar. De novo, não encontramos muita “estrutura” na praia, o que não nos incomoda porque havia um pequeno estabelecimento de coquetéis e lanchinhos, e não estávamos distantes de onde nos hospedamos.

miguel2

miguel3

Ficamos na pousada Riacho dos Milagres, onde cada quarto é na verdade uma casinha colorida com cama, TV, banheiro, geladeira, pia e mesa de jantar.

Pajuçara

paju2

Nossa visita ao nordeste encerrou com uma visita ao Mirante de São Gonçalo e uma voltinha na praia de Pajuçara, em Maceió. O visual é lindo e o dia estava bem ensolarado, mas infelizmente a água estava cheia de algas marinhas e não deu para aproveitar muito o mergulho.

Ainda assim, nos despedimos em grande estilo da cidade com uma vista incrível e um clima de verão que só veremos por aqui no final de dezembro.

paju1

Saudades, Nordeste! Vou voltar, bichinho!

Se você já foi pra lá e concorda com minhas percepções, tem uma opinião diferente sobre as praias ou quer dicar de viagens para quando viajar para os mesmos destinos, comente aqui embaixo!

O Movida por aí volta outro dia para contar sobre nossa breve visita a Brasília, conexão que fez parte do retorno de Maceió.

 

Vida de host: o que aprendi sobre a Bélgica com uma belga em minha casa

Em 26.08.2016   Arquivado em Vida de host

belgica2

Nem dá pra acreditar que já faz quase um ano que recebemos a Amira em nossa casa. Foram semanas muito diferentes e gratificantes com ela, conforme já contei no blog (pfvr, leia os posts aqui).

Para dar continuidade aos meus relatos sobre a experiência como host, decidi listar algumas coisas que aprendi sobre a Bélgica, ao receber uma belga aqui em casa. Os motivos:

  • Incentivar você a querer conhecer o país;
  • Trazer curiosidades para essa categoria do blog;
  • Mostrar que, mesmo não tendo condições de viajar, é possível conhecer vários aspectos sobre o mundo sem sair de casa. Não é maravilhoso?

Islamismo em Bruxelas

A família paterna da Amira é marroquina e segue as tradições do islamismo. Nem todos são religiosos, mas a cultura é algo que procuram preservar. Mas isso não é exclusividade da família dela. Praticamente metade de Bruxelas, a capital da Bélgica, é habitada por islâmicos que chegaram predominantemente do Marrocos na metade do século XX para trabalhar no país. Ou seja: a cultura ocidental e as tradições islâmicas se encontram todos os dias lá. Multiculturalismo, aliás, é a palavra-chave.

Férias no exterior

Essa frase soa “chique” no Brasil, mas é muito comum na Bélgica. Como o país é habitado por pessoas de origens diferentes (transporte acessível e distância pequena contam também), muitos nativos preferem passar as férias na França, Alemanha ou outro endereço vizinho que apreciam mais, enquanto nós queremos ir justamente para lá para conhecer as maravilhas do país belga.

Solidão na terceira idade

A expectativa de vida na Europa, dada a crescente qualidade de alimentação e saúde, é cada vez maior. Mesmo com a população vivendo mais, a Amira considera os belgas e vizinhos estrangeiros pouco atenciosos com os idosos. Como o trabalho é muito valorizado, eles não se dedicam tanto a visitar os pais e avós, que geralmente moram sozinhos.

Currículo trilíngue

Outra curiosidade sobre a Bélgica é que, por ser um centro de negócios europeu, as oportunidades de emprego mais específicas exigem o conhecimento de pelo menos três idiomas: francês, inglês e neerlandês são os mais comumente requisitados.  Nas universidades também são apreciados os acadêmicos que entendem outras línguas, já que nem todas as disciplinas são lecionadas em francês.

A mágica do Sol

Chove MUITO na Bélgica, o que faz com que os habitantes valorizem muito um dia de sol. Mesmo com a correria do dia a dia, você percebe um astral diferente no metrô, na universidade e em outros lugares públicos. A Amira infelizmente veio para Blumenau em uma época de chuva, o que a impediu de conhecer alguns locais turísticos. Mas quando o sol batia na sacada… Ela não contava até 3 para por um shorts, pegar um bronze e tirar muitas fotos da paisagem. “Spécial!”, ela repetia.

Chocolate? Com cerveja!

Quem aprecia uma boa cerveja já deve ter experimentado alguma garrafa com uma das opções belgas. São mais de mil e quinhentos tipos diferentes de cerveja produzidos em território belga, além dos populares chocolates, classificados entre melhores do mundo. Minha irmã belga não consome álcool, mas quanto aos chocolates, não só adora como também nos trouxe alguns. <3

Conclusão: um post só é pouco para contar tudo o que aprendemos sobre a Bélgica! Rs
Foram momentos descontraídos de conversas, presentinhos típicos e muitas experiências que enriqueceram não só o nosso conhecimento, mas também nossa forma de se relacionar com as pessoas.

Na imagem: Rafa (namorado), o serumaninho que vos escreve, Amira (belga) e Julia (prima).

Na imagem: Rafa (namorado), o serumaninho que vos escreve, Amira (belga) e Julia (prima).

Hospedar alguém expande nossas ideias de uma forma incrível! Minha mãe e Amira, por exemplo, compartilharam muitos ensinamentos e aprendizados sem ao menos falar o mesmo idioma.

Se você também aprendeu algumas curiosidades sobre a Bélgica, tem uma impressão diferente sobre algum dos tópicos, ou pensa em hospedar alguém de qualquer lugar do mundo e ter por algumas semanas uma “vida de host”, deixe seu comentário!

Em breve, compartilharei algumas curiosidades que aprendi sobre a Colômbia também. Acompanhe!

Adoráveis links [7]: lar, doce lar

Em 19.08.2016   Arquivado em Adoráveis links

lardocelar

Mais que o dilema “casar ou comprar uma bicicleta”, a dúvida sobre ter um imóvel ou continuar morando com a família (pai/mãe/vó) talvez seja uma das mais comuns entre os jovens.

Mesmo quem tem muita vontade de ter o seu próprio cantinho se depara com receio e vários momentos reflexivos, já que essa decisão tende a custar anos e anos de orçamento mensal comprometido com parcelas de financiamento ou aluguel.

Para clarear as ideias (ou confundir ainda mais a cuca), selecionei alguns links bacanudos de quem tem dicas sobre moradia. Olha só:

A Fran do blog Morando Sozinha compartilha muitas dicas e experiências pessoais sobre, como o nome do blog diz, morar só. Em um dos posts, ela falou sobre itens a considerar ao elaborar o seu orçamento doméstico. Afinal, as despesas não se resumem ao pagamento do imóvel, né?!

No blog do Trello, o Talles recomendou ferramentas para organizar a busca por apartamentos online e outras atitudes para encontrar o apê ideal sem dor de cabeça.

A Bruna, do Comprando Meu Apê, dividiu com a gente todas as etapas da aquisição do apartamento novo, e continua produzindo conteúdos legais sobre o tema. Se você pensa em financiar um imóvel, veja 4 dicas para economizar nessa empreitada. Já se você é da turma que vê vantagem em alugar, pode concordar com a Bruna que, em algumas situações, essa pode ser a melhor opção.

E se você prefere casar com um parceiro viajante e/ou comprar uma bicicleta a se estabelecer em um lugar fixo, os Nômades Digitais te apoiam e contam por que ficar em casa pode sair mais caro do que viajar o mundo. Será?

Eu ainda não sou casada, nem tenho bicicleta, e por enquanto sem imóvel próprio também. Mas já penso no futuro e espero que os adoráveis links de hoje possam ajudar quem está passando por um desses passos! :)

Lembrou de um conteúdo interessante ou tem alguma dica legal sobre o tema? Compartilha cozamigo aqui nos comentários.

Tag: 31 perguntas para quebrar um silêncio constrangedor

Em 12.08.2016   Arquivado em TAG

imagermcomtag

A sexta-feira está linda e me bateu um momento de inspiração para escrever no blog. Trouxe conteúdo informativo? Não. Vim contar sobre um passeio improvisado? Também não. Hoje é dia de TAG!!!

Rápida explicaçãozinha: TAG é um jeito diferente de se divertir com o que a gente chamava de “caderno de perguntas” na infância.

Como a sexta é recheada de aleatoriedades, vi algumas perguntas divertidas e aleatórias no grupo Se organizar todo mundo bloga, retiradas do blog Pe-dri-nha, e resolvi respondê-las aqui. A ideia da brincadeira é quebrar o silêncio constrangedor com perguntas à toas. Bem minha cara, já que não consigo ficar muito tempo quieta.

    1. Você gosta de coentro ou acha que tem gosto de sabonete?
      Gosto de coentro e não acho que tenha gosto de sabonete. Mas se fizerem um sabonete com cheiro de coentro, quero sentir o cheiro!
    2. O que você acha de áudios do WhatsApp?
      Não são divertidos, mas às vezes se fazem necessários, especialmente pra contar um causo.
    3. Você também comia o chocolate da Turma da Mônica pelas bordinhas?
      Nem me lembro de comer esse chocolate. (?)
    4. Qual é a melhor consoante do alfabeto?
      T porque eu sou clichê e é a primeira letra do meu nome.
    5. Qual é a primeira rede social que você vê de manhã?
      A que tiver notificações esperando por mim.
    6. Você acha que existe alguma bala melhor que 7 Belo?
      Existe sim. Amo/sou balinhas de gelatina, e na categoria da 7 Belo eu prefiro a Yogurte 100.
    7. Que cor você acha menos confiável?
      Verde azulado ou azul esverdeado. São sempre misteriosas quanto a real identidade.
    8. Qual foi o último filme que você viu e odiou?
      Gente Grande 2. Adam Sandler é sempre meio problemático no seu humor, mas nesse ele se superou.
    9. Qual animal parece mais simpático, um pato ou um golfinho?
      Pato. Golfinho me parecia simpático até ler algumas reportagens que não serão comentadas aqui para não desiludir quem votou em golfinho.
    10. Toddy ou Nescau?
      Nescau. Mas viveria sem os dois, numa boa.
    11. Você acha que bebês conversam uns com os outros?
      Conversar não, mas eles se entendem às vezes.

giphy (2)

      1. Sabia que todo mundo é feito de poeira de estrelas?
        Sei não, me ensinaram diferente.
      2. Ouro Branco ou Sonho de Valsa?
        Ouro branco >>> Sonho de Valsa.
      3. Qual era seu desenho favorito na infância?
        Mogli, o Menino Lobo, Rei Leão e Franklin.
      4. Que série você jamais reveria?
        Acho que reveria qualquer uma.
      5. Qual personagem do Harry Potter você menos gosta?
        Eu me irritava com o Snape nos primeiros filmes, agora que quebrei a cara já não sou capaz de opinar.

giphy (1)

      1. Qual é sua opinião sobre barrinhas de cereal?
        Caras e quase todas vêm com chocolate ruim.
      2. Com quem você dividiria um Bis?
        Com o Rafa. Ele não tiraria o olho até eu dividir.
      3. O que você faria se achasse R$ 50 na rua?
        Olharia para os lados pra ver se ninguém está procurando R$ 50 na rua, e se não achasse o dono, faria cara de paisagem mas comemoraria por dentro.
      4. Quanto tempo uma comida precisa estar na geladeira para você considerar ela velha?Ué, depende! Nada fica guardado tempo suficiente pra eu dar apelido, né, Dona Sadia?
      5. Qual é seu número preferido?
        Dezoito.
      6. Qual é o aplicativo mais inútil do seu celular?
        Todos os “Plays” que o Android não me deixa desinstalar.
      7. Quem você tiraria do elenco de “Friends” se fosse obrigado?
        O migo que trabalha na cafeteria. Vale coadjuvante né?!
      8. Você é contra ou a favor de comer macarrão com arroz?
        Não gosto, mas não sou contra. Aqui na região tem misturas mais questionáveis, tipo Mumu com presunto.
      9. Qual foi a última vez que você precisou usar a Fórmula de Bhaskara?
        Provavelmente no vestibular, há seis anos.
      10. Você acha que dá para morrer de overdose de rúcula?
        Acho que não, mas se dá, com certeza não corro esse risco.
      11. Quanto tempo você levou para entender como funciona o Snapchat?
        Nem sei se já entendi todas as funcionalidades.
      12. Qual é sua opção favorita no restaurante por quilo?
        Banana empanada.
      13. Você gosta de “Sorry” do Justin Bieber?
        Uuuuh uuuuh!

giphy

      1. Você prefere passar muito frio ou muito calor?
        Não consigo decidir. Calor só é bom quando dá pra se refrescar e frio só é bom com mantinha e casacos.
      2. Você está dormindo e sobe uma barata na sua cara. Você prefere continuar dormindo e nunca saber ou acordar e fazer alguma coisa?
        Prefiro acordar. Vai ter chilique, mas pelo menos o tempo de contato com a minha cara será menor do que se eu ficasse paradinha.

Agora é a vez de vocês me responderem essas perguntas nonsense pra gente relembrar a procrastinação nos tempos de escola (Desculpe pelo stop de palavras, Profe Adriana!).

Alguns bloggers estão respondendo essa tag para o BEDA. Vale a pena jogar no Google se você se divertiu com as perguntas.
Página 1 de 812345678