Movida por aí: Alagoas e Pernambuco

Em 09.09.2016   Arquivado em Movida por aí

alagoasepernambuco

Em março deste ano eu e o Rafa tiramos miniférias para visitar o nordeste brasileiro e aproveitar alguns dias de praia, já que final do ano não passamos um tempo no litoral, como de costume.

Assim que voltamos, comecei de verdade na correria da vida de freela e perdi o timing para compartilhar aqui no blog sobre a nossa viagem. Mas cá estou, antes tarde do que mais tarde, para mostrar alguns lugares que adoramos conhecer.

Saímos de Curitiba beeem cedo no dia 22 de março com destino a Maceió (quem compra passagens em promoção vai entender o horário). Logo que chegamos à cidade, fizemos a nossa tradicional caminhada para reconhecimento de território. Conhecemos a orla, que fica há poucos metros de onde estávamos hospedados – obrigada, Cilene e Rodrigo!, e nossa primeira impressão foi ótima.

Praia do Gunga

gunga1

Bem perto da cidade de Maceió, essa foi a primeira praia que visitamos. Foram cerca de 30km de carro até chegar ao local, uma paisagem com a maior quantidade de coqueiros que já vi na vida. O dia estava nublado e, mesmo assim, o mar alagoano já nos mostrou sua cor surpreendente. Outra novidade foi a parede de corais que “cerca” a Praia do Gunga, algo que não costuma fazer parte da paisagem do litoral catarinense.

Encerramos o primeiro dia de passeio com um programa clássico de turista em Maceió: jantar no Bodega do Sertão.

Praia Mirante da Sereia

sereia1

Seguimos nosso roteiro de viagem com destino a Maragogi. Ao parar em um posto para abastecer o carro e o pânceps com um café da manhã gostoso, resolvi atravessar a rua para olhar a paisagem de um mirante, e fiquei hipnotizada pela beleza. A manhã ensolarada deixou o mar ainda mais incrível, e lá entre as ondas, tinha uma estátua de sereia sobre os corais que chamou minha atenção.

sereia2

O Foursquare me informou que estava no Mirante da Sereia e mostrou algumas avaliações reclamando da falta da estrutura, mas particularmente, prefiro praias bem cuidadas e um pouco desertas, àquela muvuca de areias tomadas por mesas de restaurantes e vendedores circulando o tempo todo.

Maragogi

maragogi0

Certamente, um dos pontos altos da nossa viagem foi chegar a esse lugar tão mágico. Maré baixa, faixa de areia enorme, águas muito claras e sem ondas nos esperavam para o passeio de barco até os galés de Maragogi.

Lá, além de observar peixes bem de pertinho e recifes de corais com ajuda do snorkel, tive uma das experiências mais diferentes da minha vida: mergulho! A superação pessoal ao topar o scuba diving foi tão grande que tem até um post especial sobre esse momento aqui.

maragogi2

O passeio durou somente uma manhã, mas adoramos passar o dia todo na cidade. Depois de aproveitar a praia durante a tarde, caminhamos pela calçada pertinho da orla e finalmente provamos a tapioca nordestina. Uma delícia!

maragogi1

Ficamos na pousada Kaimoana, que era a mais em conta na época em que pesquisamos, e valeu a pena. Quarto amplo com varanda de frente para o mar e café da manhã já com os pés na areia.

Porto de Galinhas

porto1

Passamos a noite em Maragogi, e no dia seguinte, depois de um café reforçado, seguimos nossa viagem de carro em direção a Pernambuco, com destino a Porto de Galinhas. Assim como a praia anterior, esta também fez parte do ponto alto da nossa viagem, já que o mar pernambucano é igualmente maravilhoso.

Porto de Galinhas tem corais que conseguimos acessar nadando ou mesmo de pé nos períodos de maré baixa. Lá foi o lugar onde mais vimos espécies diferentes de animais marinhos, mesmo com a experiência do scuba diving no dia anterior.

Nosso roteiro inicialmente destinava só um dia para conhecer a cidade, mas gostamos tanto de lá que resolvemos passar todo o final de semana. Mesmo à noite, Porto de Galinhas tem seus encantos. O centrinho da cidade é super charmoso, com apresentações de danças, lojinhas com artesanato e várias opções de barzinhos e restaurantes.

Único ponto negativo (além do joelho envenenado, rs): lembra o que comentei sobre a praia Mirante da Sereia? Porto de Galinhas é o oposto: tem estacionamento, chuveiros, e restaurantes que infelizmente ocupam toda a extensão de areia. Apesar de uma boa estrutura, achei muvucado demais.

porto2

A visita à cidade terminou quando eu acidentalmente bati com o joelho na parede de corais no fim da tarde de domingo e tive que ir para a emergência e levar uma Senhora Injeção para conter a ação das toxinas. Mas exceto pelo pão francês no meio da perna esquerda, deu tudo certo, o atendimento foi rápido bom e esse episódio só deixa a história da viagem mais engraçada.

São Miguel dos Milagres

miguel1

A situação é a seguinte: duas pessoas cansadas viajando por uma rodovia pouco iluminada, deserta e uma delas com o joelho machucado. Foi assim que recomeçou nossa road trip, agora com destino a São Miguel.

Por ser noite e termos brincado com peixinhos o dia todo, a distância de mais de 100km entre Porto de Galinhas e São Miguel dos Milagres, que já é grande, se multiplicou. Quando achamos que já estávamos chegando, encontramos uma cidadezinha que estava em festa, e paramos para um respiro (e um rango). Não era nosso destino, mas felizmente, dali em diante foram só mais alguns minutos de carro até a pousada.

No dia seguinte, finalmente conhecemos o Milagre de São Miguel: uma praia deserta, com águas claríssimas e muitos corais. Ao contrário dos lugares que visitamos anteriormente, a areia tinha uma textura leve de lodo, o que não nos permitiu ver tantos peixinhos. Ainda assim, conseguimos andar sobre corais e apreciar a vista incrível do lugar. De novo, não encontramos muita “estrutura” na praia, o que não nos incomoda porque havia um pequeno estabelecimento de coquetéis e lanchinhos, e não estávamos distantes de onde nos hospedamos.

miguel2

miguel3

Ficamos na pousada Riacho dos Milagres, onde cada quarto é na verdade uma casinha colorida com cama, TV, banheiro, geladeira, pia e mesa de jantar.

Pajuçara

paju2

Nossa visita ao nordeste encerrou com uma visita ao Mirante de São Gonçalo e uma voltinha na praia de Pajuçara, em Maceió. O visual é lindo e o dia estava bem ensolarado, mas infelizmente a água estava cheia de algas marinhas e não deu para aproveitar muito o mergulho.

Ainda assim, nos despedimos em grande estilo da cidade com uma vista incrível e um clima de verão que só veremos por aqui no final de dezembro.

paju1

Saudades, Nordeste! Vou voltar, bichinho!

Se você já foi pra lá e concorda com minhas percepções, tem uma opinião diferente sobre as praias ou quer dicar de viagens para quando viajar para os mesmos destinos, comente aqui embaixo!

O Movida por aí volta outro dia para contar sobre nossa breve visita a Brasília, conexão que fez parte do retorno de Maceió.

 

Movida por aí: 5 coisas para fazer em Porto Alegre

Em 03.08.2016   Arquivado em Movida por aí

Voltei com o “Movida por aí”! Estou empolgada para compartilhar alguns dos lugares que curti visitar e coisas que gostei de fazer na última viagem improvisada com o boy, no segundo final de semana de julho.

Para entenderem o nível do improviso, essa viagem aqui foi realizada porque o Rafa tinha milhas para gastar, um prazo curto para isso, e Porto Alegre era a única cidade que se encaixava no limite.

Assim que chegamos à capital do Rio Grande do Sul e fizemos aquela tradicional caminhada que chamamos de “reconhecimento de território”, já sentimos que esse passeio renderia pra caramba, pois a tal pernadinha pelo quarteirão rendeu um dia inteiro de atividades fora do hotel.poa-thaysa2

City Tour

Foi oficialmente a primeira vez que eu e Rafa investimos em um city tour, e certamente pesquisaremos sobre esse tipo de passeio em outras cidades que viermos a conhecer. Logo no primeiro dia em Porto Alegre, descobrimos a Linha Turismo, que apresenta de uma forma especial alguns pontos turísticos da cidade, em um ônibus com o segundo andar aberto e informações históricas e curiosidades a todo o momento enquanto apreciamos os atrativos gaúchos.

A empresa conta com duas opções de roteiros, sendo o tour Centro Histórico o nosso escolhido. Embarcamos em frente ao Shopping Barra Sul e conhecemos o Parque da Redenção (Farroupilha), o Parque Moinhos de Vento (Parcão), o Mercado Público, a Usina do Gasômetro e a Fundação Iberê Camargo. Durante o passeio, ainda conhecemos outros pontos turísticos como o Estádio Beira-Rio.

O tour custa R$ 25 durante a semana e oferece opção de embarque e desembarque em alguns pontos durante o trajeto, o que nos interessou muito, já que muitos ônibus de turismo não dão esse espaço para parar, entrar nos lugares, fotografar de pertinho, etc.

poa-thaysa1

Pernada pelo Centro Histórico

É certo que no primeiro dia do passeio, o city tour nos possibilitou conhecer vários pontos historicamente importantes para a cidade, mas nada como uma caminhada para explorar o local. Recomendo fortemente uma boa pernada pelo Mercado Público (vale conferir os estandes), a Praça da Matriz, a Praça da Alfândega e a Rua dos Andradas, onde se encontram monumentos como a Catedral de Porto Alegre, a estátua de mais de vinte metros de altura feita em homenagem à Júlio de Castilhos e outros pontos turísticos.

Imagem: Destemperados.

Imagem: Destemperados.

Dirty Old Man

Quase não encontramos o local, mesmo recorrendo ao mapa, mas que grata surpresa para um sábado à noite! O Dirty Old Man, localizado na Cidade Baixa, é um daqueles barzinhos super aconchegantes com uma variedade de drinks, cervejas e, pra ganhar de vez meu coração, lanches gostosos saindo da cozinha. Inspirado em Bukowski, o bar homenageia o escritor até mesmo no cardápio, coloquial e sem rodeios.

Destaque também para a música ambiente, que após “Every breath you take” voltou a ter meus elogios com bom e velho rock, volume bom para conversar e repertório variado.

poa-thaysa3

Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS

Mesmo que tenhamos chego tarde demais para explorar todo o museu e que o celular do Rafa tenha dificultado ainda mais a visita por resolver mergulhar em uma valeta, sigo recomendando que conheça o Museu da PUC se for à Porto Alegre.

Diferente de um lugar totalmente expositivo e recheado com placas de “não toque” e “entrada restrita”, o espaço tem muitas atrações interativas que permitem tocar, visualizar, ouvir viver situações diferentes. De espaços sobre astronomia, até curiosidades sobre o corpo humano, há muito que visitar no museu. Esperamos voltar com pelo menos três horas para passear antes que as atividades se encerrem.

poa-thaysa5

Casa de Cultura Mário Quintana

Lá na Rua dos Andradas, citada como dica de destino durante a pernada pelo Centro Histórico, está o antigo Hotel Majestic, onde se hospedou por muitos anos Mário Quintana. Desativado desde 1980, o hotel se tornou um espaço cultural, onde várias obras do poeta estão expostas, assim como a reprodução do quarto por onde viveu mais de dez anos. O local ainda tem um acervo dos discos da brilhante Elis Regina.

poa-thaysa6

Bônus: A surpresa especial foi o café no sétimo andar da Casa de Cultura Mário Quintana, chamado Santo da Casa. Além da vista linda do Guaíba e da decoração diferenciada com homenagem às diversas manifestações de fé, o lugar tem um cardápio com opções bem gostosinhas para almoço, café e happy-hour. Nossa escolha foi o prato “São Matheus”, com carne ao molho de vinho com champignon e bacon, e um purê de mandioquinha bem cremoso. Para beber, escolhi um drink sem álcool com tônica, maçã e outros ingredientes que não me recordo, mas a misturinha ficou delícia!

E você, que lugares gostou de conhecer em POA? Conte pra mim nos comentários! Quem sabe a gente inclui outras opções quando voltar para terras gaúchas.

Movida por aí: São Paulo

Em 03.05.2016   Arquivado em Movida por aí

A cidade mais populosa do Brasil foi o nosso destino da vez em fevereiro deste ano. Com cerca de 20 milhões de habitantes (muito mais do que o estado de Santa Catarina todinho), São Paulo despertou nossa curiosidade em um dia em que as passagens estavam em promoção.

O Rafa já tinha ido à SP para shows e outros eventos pontuais, e eu ainda não conhecia a cidade, por isso aproveitamos os descontinhos no ano passado e programamos uma daquelas viagens vapt-vupt para sair da rotina.

spthaysa1

O primeiro destino do passeio foi o Museu de Arte de São Paulo, sexta-feira de manhã. Como ficamos em um hotel na República, foi tranquilo chegar até lá de ônibus, e seria possível até mesmo ir à pé.

No MASP, prestigiamos as exposições “Entre ditaduras”, de Leon Ferrari, “Histórias Feministas”, de Carla Zaccagnini (disponível em áudio) e a galeria de imagens do Foto Cine Clube Bandeirantes, com registros de 1939 em diante.

(mais…)

Movida por aí: Canela e Gramado

Em 11.04.2016   Arquivado em Movida por aí

IMG_2294

Em agosto do ano passado passei alguns dias no Rio Grande do Sul e conheci pontos turísticos, restaurantes e outros lugares muito legais de Canela e Gramado, duas cidades muito fofinhas para turistar durante todo o ano, especialmente no inverno e na época de Natal.

Em vez de fazer um diário de viagem, como fiz com o Rio de Janeiro, resolvi contar um pouquinho sobre os locais que mais gostei de visitar durante esse passeio. Vamos às recomendações de hoje!

Bondinhos Aéreos

Canela tem uma região de belezas naturais chamada Parques da Serra. Lá, entre outras atrações, conheci os Bondinhos Aéreos, que levam os visitantes a uma trilha ecológica e a um mirante lindo com vista para a Cascata Caracol, uma queda d’água bem grande (vide imagem acima).

Vale a pena conhecer no final de tarde e encerrar o dia com essa vista incrível da cascata e do pôr do sol. É possível ainda curtir o visú tomando um cafezinho. Nada mau para um dia de outono, né?!

Acesso ao parque + passeio de bondinho: R$ 39,00 (adulto) | R$ 19,00 (crianças) | Gratuito para menores de 6 anos.

Empório Canela

Restaurante pequeno em Canela, decorado com móveis vintage e trabalhos manuais, com um espaço de leitura, venda de livros novos e usados e itens artesanais como almofadas, moleskinis e até geleias. O tempo de espera por uma mesa foi menor do que o informado, pedimos massas e sobremesas gostosas e com temperinho caseiro.

Para deixar a experiência ainda mais bacana, o restaurante fica perto da Catedral de Pedra, uma igreja com arquitetura gótica que esteve entre as sete maravilhas do Brasil em 2010, em eleição do portal Terra.

Cardápio com preços bem variados.

IMG_2610

Mini Mundo

O Mini Mundo é um lugar encantador com cidades em miniatura. A princípio achei que fosse um passeio interessante para quem está acompanhado de crianças, mas adultos também se divertem no parque.

As construções, pessoas, animais e situações replicadas são muito bem feitas; há trenzinhos em movimento, incêndio com fumaça de verdade, televisões com imagens reais, teleféricos e outras atrações que melhoram a experiência sensorial. Há miniaturas de lugares reais, como o Museu da Imigração de São Paulo, e de lugares fictícios.

Para cada canto que a gente olha tem uma surpresa: pedido de casamento, aglomero de pessoinhas em volta de um ovni, família jogando Guitar Hero… Usando “Ponte para Terabitia” como referência, o ideal é fechar os olhos e deixar a mente bem aberta.

Não posso deixar de mencionar que o atendimento é cordial, há ursinhos que tiram fotos com os visitantes, um “limpador de chaminés” que além de recepcionar, sugere os melhores ângulos para imagens realistas, e há também um café charmoso e uma barraquinha de doces (picolé, algodão doce, chocolate) para um lanchinho durante ou depois do passeio.

Acesso ao parque: R$ 24,00 (adulto) | R$ 15,00 (crianças) | Gratuito para menores de 2 anos.

Largo da Borges: Mamma Pasta

A intenção inicial ao sair do hotel era jantar na Rua Coberta, mas como acontecia o primeiro final de semana do Festival de Cinema de Gramado, os restaurantes de lá estavam lotados. Felizmente, entramos na galeria Largo da Borges, bem ao lado do Palácio dos Festivais, e encontramos um restaurante italiano chamado Mamma Pasta, com música ao vivo, casa cheia e muita animação.

O atendimento é eficiente, o fondue maravilhoso e o local aconchegante. Não sei com que frequência o restaurante oferece apresentações de música, mas preciso confessar que me empolgo com versões de Bee Gees, Abba e Whitney Houston. Alguém mais?

Cardápio com preços bem variados.

Canela e principalmente Gramado têm muitas atrações. Há o Museu de Cera, Museu da Moda, lojas de doces caseiros, museus de carros (o ambiente do Harley Motor Show é incrível), Lagro Negro, passeios de trem… Enfim, são muitos pontos turísticos para conhecer e querer revisitar. Na lista de hoje destaquei apenas alguns, mas recomendo ir com calma para aproveitar as cidades, que além de tantas atrações, têm centrinhos charmosos e convidativos para caminhar e comprar souvenires, vinhos, queijos e muito chocolate.

Falando nisso, se virem umas cestinhas de bombons lá, não se esqueçam de mim! <3